Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Cultura :: 2017-05-02 -14:16:00

Circuito Sesc de Artes chega a São João no dia 14 de maio


A Prefeitura e o Serviço Social do Comércio (Sesc) trazem até São João da Boa Vista, no próximo dia 14 de maio, das 16h30 às 21h30, mais uma edição do Circuito Sesc de Artes, com uma programação gratuita que reúne música, dança, teatro, circo, cinema, artes visuais e literatura. 

As exibições estão programadas para a Praça Coronel Joaquim José, região central da cidade. Segundo o diretor municipal de Cultura, Hélio Correa Fonseca Filho, a Prefeitura é parceira do Sesc e oferece toda a infraestrutura para a realização do evento. 

“É a oportunidade de termos uma programação de altíssimo nível, totalmente gratuita, na praça central de nossa cidade. Em todas as edições realizadas foi um grande sucesso. Por isso, sempre buscamos manter essa parceria”, afirma o diretor. 

São João integra um grupo de 118 paulistas que recebem as atrações. Nesta edição, a parte musical tem o sexteto Ordinarius. A banda vem do Rio de Janeiro e traz na bagagem um repertório com gêneros brasileiros e internacionais, ao som de instrumentos como violão, cavaquinho e percussões variadas. 

Outra novidade é o DJ Pardí. Com influências da música popular brasileira e latino-americana, o artista tem no currículo apresentações nas mais importantes casas de espetáculos de São Paulo. 

No campo das artes visuais, as Splashcletas, intervenções do artista Guilherme Teixeira, destacam as bicicletas adaptadas que funcionam como máquinas de pintura. O participante pedala e aciona a rotação do papel que fica em frente à splashcleta, enquanto um outro escolhe as cores e a forma de aplicação da tinta. O resultado apresenta pinturas abstratas que variam conforme as escolhas de tinta e a intensidade das pedaladas. 

O Cinema Olho é uma atração que promete encantar o público. Na ocasião, é possível desfrutar dos primórdios do cinema em minis sessões temáticas que exibem os primeiros beijos, primeiros monstros e os primeiros efeitos especiais da história da sétima arte. A essência da atividade é uma seleção de obras cinematográficas dos anos 1900 a 1940. 

Também estão confirmados os Miniteatros de Sombras do Grupo Girino. Como fotógrafos lambe-lambe, a trupe mineira leva em caixas suas quatro peças pequenas em tamanho e duração. O espectador assiste à apresentação espiando em um olho mágico e com auxílio de fones de ouvido. As narrativas oníricas realizadas com a técnica do teatro de sombras duram 2 minutos. 

Do lado literário, tem o espetáculo Pé da Letra, com o Coletivo Muda Práticas. A atividade inclui marcadores de livros que frutificam galhos de uma curiosa árvore. No pé da letra, frases poéticas impressas nos marcadores convidam o público a conhecer obras de autores como Cecilia Meireles, Mel Duarte e Manoel de Barros. 

O Encontro Atlântico, interpretado pelo Ballet Afro Koteban, é outro destaque da programação. Trata-se de uma produção coletiva, formada por artistas da Guiné e da diáspora africana no Brasil, que busca pensar a atualidade da ancestralidade africana por meio do Oceano Atlântico. São cinco músicos que tocam djembés e doundouns, diferentes tipos de tambores, e três dançarinas. 

O circo também tem vez no Circuito Sesc, com as Caixas Mágicas, com o ilusionista Mario Kamia. A caixa, elemento-chave para o profissional, é o centro deste espetáculo que explora desde equipamentos feitos com caixas de papelão até as grandes caixas de ilusionismo. A performance inclui números como a mesa da morte em que aspectos descem sobre o corpo do ilusionista e não o atingem. 

 

 

Cultura