Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Polícia :: 2017-04-06 -10:38:00

Briga em porta de escola repercute na rede; Polícia pede Fundação Casa para agressora


Esta semana, uma briga de estudantes na porta da Escola Estadual Monsenhor David, no Santo Antonio, em São João da Boa Vista, ganhou repercussão nas redes sociais e o caso terminou na polícia.

Um jovem grava um vídeo em que uma menina agride outra com socos, chutes, tapas e puxões de cabelos. Nas imagens, K.M.S.R., de 13 anos, aguarda do lado de fora da escola e parte para cima de E.C.B., de 12 anos, assim que esta sai pelo portão.

K.M.S.R. puxo os cabelos e agride a menor de 12 anos, a qual consegue escapar e correr. Porém, K.M.S.R. vai atrás e começa a agredir E.C.B. novamente, com chutes, socos na cabeça e puxões de cabelo.

Durante o vídeo, outros estudantes pedem que K.M.S.R. pare com as agressões e dizem: “Para. Você vai matar ela”. Mas, K.M.S.R. ignora e continua agredindo E.C.B.. Alguns jovens separam e seguram a agressora, momento em que a filmagem termina.   

O vídeo foi publicado nas redes sociais e se espalhou rapidamente pela cidade, causando comoção entre as pessoas. As imagens revoltaram ainda mais no momento em que chegou a informação de que a vítima E.C.B. sofre de leucemia e estaria em tratamento.

Diante disso, a agressora começou a ser ameaçada nas redes sociais. Um grupo no facebook marcava, inclusive, um encontro para agredir K.M.S.R., ameaçando até de espancá-la.

Um grupo de 15 jovens chegou a ir armado de facas e tesouras na porta da casa da acusada, que acabou registrando boletim de ocorrência por ameaça.

Desfecho

A repercussão foi tamanha que a Polícia Civil entrou no caso e identificou todos os envolvidos. Na delegacia, a vítima diz que não sabe o motivo pela qual foi agredida e que não fez nada para a agressora.

Já K.M.S.R. disse que agrediu E.C.B. porque ela teria dado “risada da sua cara” e queria agredi-la, o que a vítima desmente.

Aos policiais civis, a agressora disse que não se arrepende do que fez.

O delegado Marcos Aparecido Ferreira do Carmo, então, encaminhou a agressora para o promotor de justiça da Infância de da Juventude. Nesta quinta-feira, K.M.S.R. tem audiência com a juíza da Infância e da Juventude, Elani Mendes Marum. Não se sabe se a agressora ficará livre ou se poderá ir para a Fundação Casa.

O vídeo

O MUNICIPIO possui o vídeo da briga, mas não veiculará o mesmo para evitar a propagação da violência e por orientação da própria polícia, já que todos são menores de idade.

Polcia