Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Polícia :: 2017-03-25 -10:00:00

Amigos de homem que morreu atropelado pedem justiça


O entregador Fábio Oliva Bento, de 32 anos, morreu, na última quarta-feira, dia 22, três dias após sofrer um grave acidente no cruzamento das ruas Carolina Malheiros com a Quatorze de Julho, na Vila Conrado.
Apesar de não estar relatado em boletim de ocorrência, testemunhas afirmam que a proprietária do veículo Fiat Pálio vermelho, ano 2012 – uma auxiliar de escritório, de 50 anos –, estaria em alta velocidade, teria ultrapassado no sinal vermelho e que, possivelmente, estaria embriagada, pois havia latas de cerveja no interior do veículo.
O B.O. da Polícia Civil informa que, segundo a Polícia Militar, a acusada vinha pela Carolina Malheiros – por volta das 23h30 de domingo, dia 19 –, quando chocou-se contra a moto CG Titan preta, ano 2015, de propriedade de Fábio, batendo na lateral do carro.
A vítima foi arremessada ao solo, sofrendo graves ferimentos, sendo socorrida e levada à Santa Casa Dona Carolina Malheiros. Após passar por várias cirurgias nos três dias que esteve internado na UTI do hospital, não resistiu aos ferimentos.
Ainda de acordo com o boletim, a condutora do Pálio relatou a seguinte situação, após a batida: “estou um pouco confusa. Em determinado momento me recordo de estar desviando de uma parede e de um homem me xingando, e mais nada”.
A mulher foi socorrida pelo Samu e também levada à Santa Casa por ter sofrido ferimentos. Por lá os policiais a interrogaram novamente, porém ela pouco falou, pois estava com um colar cervical e aparentava estar bastante atordoada.
 
TESTEMUNHAS
Informações extraoficiais dão conta que Fábio trabalhava entregando pizzas e que, no momento do acidente, estava se dirigindo para sua residência, pois já havia feito a última entrega.
O delegado Luciano Pires Galetti, responsável pelo caso, abriu inquérito na segunda-feira, dia 20, a princípio como lesão corporal. Contudo, com o falecimento da vítima, a acusada responderá por homicídio culposo.
Galetti informa que não tem como comprovar se a auxiliar de escritório estava mesmo embriagada, pois a situação não foi relatada pela Polícia Militar em boletim de ocorrência. Porém tudo será investigado. “Vamos aguardar o laudo pericial do acidente e começaremos a ouvir as testemunhas e a acusada em breve”, destacou o delegado.
A Polícia Militar, através de seu setor de comunicação, divulgou que a acusada já estava sob cuidados médicos quando chegou ao local do acidente. Por conta disso, e também da gravidade do acidente, a mulher não passou pelo teste do bafômetro.
 
PROTESTO
Amigos e colegas de trabalho fizeram um protesto no sepultamento de Fábio, no final da tarde de quarta-feira. Eles saíram com suas motos da rua Saldanha Marinho e partiram até o cemitério, com buzinaço e com motor em alto som.
De acordo com uma amiga, que postou em uma rede social, foi uma forma de homenagear o amigo e mostrar a revolta de todos pela forma que o acidente ocorreu e também pelo trânsito caótico que está em São João hoje.
“Isso tem que ter punição. Um trabalhador que ganha a vida em cima de duas rodas, por imprudência de uma (...) que estava bêbada e cruzou o farol vermelho (...) Queremos fazer um movimento para a pessoa receber a punição necessária”, destaca o post de uma amiga da vítima (retiramos alguns trechos da fala por motivos de ofensa).
Fábio Oliva Bento era casado e possuía uma filha de pouca idade. Residia à rua Alice Milanez Ribeiro de Almeida, no bairro Parque dos Resedás. Seu sepultamento ocorreu no mesmo dia, às 17h, no cemitério municipal.
 
Polcia