Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Esportes :: 2017-03-14 -16:29:00

Futebol profissional pode retornar a São João em 2018


São João da Boa Vista poderá ter a volta do futebol profissional em 2018, com início dos trabalhos já para 27 de março deste ano.

É o que pretende o advogado desportivo e trabalhista Marcio Cruz, que esteve na redação do O MUNICIPIO, na manhã desta terça-feira, dia 14.

O projeto Hinnes Futebol Clube e Hinnes Football Management Ltda. será lançado na Casa Bissuti, em São Paulo, no próximo dia 27. Além de Cruz, também faz parte da sociedade o atleta Marcelo Guedes e o ex-jogador Cléber Lima.

Marcelo, de 29 anos, joga atualmente no Besiktas, da Turquia, desde fevereiro de 2016. Iniciou sua carreira nas categorias de base do Santos, sendo campeão paulista em 2007. Jogou também em clubes da Polônia, Holanda e Alemanha.

Já Cléber, com 42 anos, realiza atividades ligadas ao futebol na cidade de Brasília/DF. Começou sua carreira na Portuguesa, em 1993. Passou por Internacional de Limeira, XV de Piracicaba, Guarani, União Barbarense e Gama/DF. Em 1996, foi campeão da Taça Libertadores pelo Cruzeiro. Esteve também em Portugal, Polônia e Russia, onde encerrou a carreira, em 2010.

Segundo seus criadores, a Hinnes foi projetada para fomentar o futebol de alto rendimento, a fim de que sejam alcançados níveis elevados de profissionalismo, por intermédio de mecanismos de gestão e governança corporativa.

“Nossa missão é se estabelecer como uma das maiores equipes do futebol brasileiro, atuando com excelência na formação de atletas de alto nível. Como visão, a meta é obter resultados expressivos de ordem financeira e esportiva, atuando com responsabilidade social corporativa”, explica Marcio Cruz.

 

DETALHES

A Hinnes se apresenta na modalidade de clube empresa, por intermédio de uma Sociedade Empresária por Quotas Limitadas com fins lucrativos. O capital e o poder de decisão ficam concentrados nas mãos dos sócios, além da participação de investidores que adquirirem percentual do capital social.

A sede está localizada em Santos/SP, onde serão realizadas as medidas administrativas e estratégicas, visando a realização do projeto.

Entre as etapas já concluídas, estão: a constituição e registro da empresa, a aquisição de sede administrativa, o estudo para a construção do Centro de Treinamento, com formalização de contrato de garantia, preferência e estipulação de valor da área (rodovia SP-344, que liga São João a Aguaí, logo depois do pedágio) e o lançamento do site (www.hinnes.com.br).

Para as 2ª e 3ª fases estão: anteprojeto arquitetônico, a captação de recursos, o projeto executivo e a contratação de empresa para construção do CT, além do seu lançamento.

 

Campeonato Paulista será primeira meta

De acordo com as informações do site do clube na internet, a Hinnes tem por objetivo iniciar suas atividades como equipe de futebol na Segunda Divisão do Campeonato Paulista, em 2018, disputando as categorias profissional e de base (Sub-15 e Sub-17).

“Após a captação de recursos e efetivação de parcerias e patrocínios, serão realizados o registro junto à Federação Paulista de Futebol e a contratação das equipes técnica, administrativa e esportiva, viabilizando a implementação do departamento de futebol”, diz em trecho de texto retirado do site.

A origem do nome Hinnes vem de uma gíria americana que representa “ser campeão”. “Crescer, construir, ensinar, ver potencial, observador e super generoso. Tudo isso se associa à nossa filosofia de trabalho”, detalha Marcio Cruz. Terá o apelido de Gigante Azul e o mascote será a Arara Azul, que está em fase de criação, juntamente com o brasão, a bandeira e a flâmula.

Sua sede será em São João da Boa Vista, com jogos oficiais sendo realizados no estádio municipal Octávio da Silva Bastos (CIC), mediante cessão de uso a ser obtida junto à Prefeitura. Outros quatro estádios municipais poderão ser utilizados para treinamento até a finalização da construção do CT.

Haverá também alojamento com refeitório e academia para os atletas da base e do profissional, em imóveis que ainda serão locados. A princípio, 30 empregos diretos e indiretos poderão ser disponibilizados, sem contar os jogadores.

O clube também realizará ações sociais – autônomas ou mediante parcerias com organizações sociais e governamentais voltadas ao desenvolvimento do esporte, principalmente entre crianças e adolescentes – e de responsabilidade ambiental – com organizações sociais ligadas ao meio ambiente, ecologia e preservação da fauna e da flora, especialmente da arara azul, espécie em risco de extinção.

Mais detalhes na edição impressa desta quarta.

Esportes