Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Política :: 2016-05-10 -15:40:00

Reberson deixa cargo no Legislativo e se despede de edis em sua última sessão

O vereador informou que já recorreu ao Superior Tribunal Eleitoral (STE) da decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP)

Por Wesley Colpani


Reberson cumprimenta Ademir durante despedida. (Foto: Assessoria Câmara)

A sessão da Câmara Municipal de São João desta segunda-feira ficou marcada pela despedida do vereador Roberson Menezes (PV), que foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) no final do mês passado por infidelidade partidária. Conforme O MUNICIPIO apurou, o presidente da casa, Ademir Boaventura (PSDB), irá convocar o suplente de Reberson, o advogado Vinícius Bovo (PTB), a assumir o posto nesta quarta (11).

Durante a sessão, quando a casa iniciaria a votação dos cinco projetos em pauta, Reberson levantou-se e se despediu de parte dos vereadores. Ele abandou a sessão sem cumprimentar os edis Elenice Vidolin (Solidariedade), João Henrique (PSD), Claudinei Damilio (PTB) e José Eduardo (PSB), que tiveram desavença com o Prefeito Vanderlei Borges de Carvalho, do qual Menezes pertence à base aliada.   

Vinícius Bovo deverá estar presente já na sessão solene que ocorrerá nesta sexta-feira (13). Reberson informou que já recorreu da decisão e entrou com o pedido de efeito suspensivo.

Mas conforme informações da casa, o Tribunal já informou que não concederá efeito suspensivo no caso de nenhum vereador cassado no Estado. Que os mesmo devem recorrer ao Superior Tribunal Eleitoral (STE) e, caso consigam reverter a decisão no STE, reassumem o mandato.

HORAS EXTRAS

Durante a sessão, o vereador Leonildes Chaves (PHS), levou até o plenário uma denuncia de que motoristas do setor de saúde, após realizarem viagens para outros municípios, quando retornam à São João, vão para suas casas ou ficam pela cidade enrolando para bater o ponto mais tarde e acumular horas extras.

O edil apresentou fotos de um suposto motorista que viajou para Mococa (SP) e, quando voltou ao município, guardou a ambulância em sua casa para levar ao pátio mais tarde e acumular horas extras.

Ele ainda completou que há motoristas que chegaram a ter 4.000 horas extras. Ele ainda informou que o motorista, suposto denunciante do esquema, foi transferido para o almoxarifado com ordem do Departamento de Saúde.

DISCUSSÃO

Já no final da sessão, os vereados Roberto Campos (Rede) e Bira (PR), iniciaram um bate boca, pois durante o tempo que o edil da Rede Sustentabilidade utilizou a Tribuna Livre para rebater uma jornal bisemanal da cidade, teria citado fatos que incomodou Bira.

Campos rebateu dizendo que ele [Bira] deveria “reclamar com o jornal e não com ele, pois foi o jornal quem escrever e publicou as informações”.

Chaves utilizando a Tribuna Livre durante sessão desta segunda. (Foto: Wesley Colpani)

CHAVES

Ainda nos bastidores da casa, muito se questionou quem assumira o lugar do vereador Leonildes Chaves, que na semana passada também teve o mandato cassado pelo TRE-SP. Chaves foi enquadrado na mesma situação que Reberson, infidelidade partidária por trocar de partido fora da janela permitida.

Conforme o Cartório Eleitoral de São João, no caso de Chaves, o suplente é Helcio Purga, que durante as eleições de 2012 pertencia ao Partido Trabalhista Cristão (PTC), coligado com o PC do B, antigo partido de Leonildes.

Por telefone, o Cartório informou que nesse caso, a vaga de suplente pertence a coligação e não ao partido por qual o edil foi eleito no pleito de 2012 (PC do B). Purga, sendo o segundo mais votado na coligação, 634 votos, deve assumir o posto ainda esse mês. 

Poltica