Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Política :: 2016-04-26 -14:15:00

Sessão na Câmara tem bate boca entre vereadores

Edis falaram sobre a Ação Civil Pública que resultou no acordo com a prefeitura. Assuntou resultou em bate boca entre João Henrique e Claudinho

Da Redação


(Foto: Comunicação Câmara)

A sessão da Câmara Municipal de São João voltou ser agitada na noite desta segunda-feira (25), os vereadores, que votaram cinco projetos, debateram sobre problemas no município.

Os edis falaram sobre os quase dois anos sem reajuste salarial dos servidores municipais, o caso de um paciente que aguarda para ser operado novamente pela Santa Casa, sobre a ação movida, e vencida, pelos vereadores Rui Nova Onde (PTB), João Henrique (PSD), Elenice Vidolin (Solidariedade), Leonilde Chaves (PHS) e Claudinei Damalio (PTB) e voltaram a lembrar da licitação da saúde pública municipal.

BATE BOCA

Os vereadores João Henrique (PSD) e Claudinho (PMDB), bateram boca durante o plenário. A discussão se iniciou quando, o edil João Henrique, utilizava a Tribuna Livre para falar sobre a Ação Civil Pública que resultou no acordo em que a prefeitura devolverá a taxa de iluminação pública, cobrada no carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2016. 

Quando o vereador do PSD falava sobre a conquista dos vereadores, o edil da base aliada ao prefeito Vanderlei Borges de Carvalho, Claudinho, questionou João, alegando que não se tratava de uma ação popular, mas sim um acordo de comum consenso.  

Revoltado, João Henrique rebateu Claudinho dizendo que ele só poderia estar de “brincadeira” ao fazer essa afirmação. Em seguida solicitou que uma cópia da ação fosse feita e entregue ao edil da base.

ROBERTO CAMPOS

O vereador da REDE, Roberto Campos, ao usar a Tribuna Livre, questionou informações divulgadas por um jornal da cidade, no qual afirma que foi em sua gestão que a dívida da Santa Casa Dona Carolina Malheiros aumentou.  

Ele, utilizando números apresentados pelo próprio jornal, afirmou que os mesmos não batiam em outras publicações. Em seguia pediu que o bi semanário esclarecesse essas questões e que o mesmo apresentasse documentos sobre a dívida ativo a descobrir de sua gestão, já que, segundo o edil, os números do ativo a descobrir que são os números reais da dívida da instituição.

Ele afirmou que, quando assumiu o hospital em 2004, a dívida era de R$ 3. 742.515.00 e que, quando deixou o cargo de provedor em 2011, a dívida era de 7.482.069,00. Ele ainda afirma que esse aumento de mais de 3 milhões e 700 mil eram o juros da dívida já existente. 

LICITAÇÃO SAÚDE

A licitação que saberá qual empresa assumirá a área de saúde no município, ocorre nesta quinta-feira (28), mas voltou ser lembrada pelo vereador Chaves.

“Dia 28 agora acontece à licitação da saúde, devemos ficar muito atento, pois algo me chamou a atenção. O presidente de uma das empresas que irão concorrer é ex-funcionário da Bio Saúde, sem falar que esse processo já deveria ter acontecido no último dia 14, mas passou para o dia 28, pois precisou ser mudada para que uma empresa, que está ligada diretamente a uma autarquia municipal, precisava se regularizar para concorrer”, finalizou o Leonilde.

Mais detalhes na edição impressa desta quarta-feira (27).

Poltica