Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Geral :: 2016-02-01 -19:11:00

Planta pode ajudar no combate ao Aedes Aegypti

Crotalária juncea pode atrair libélulas, predadoras naturais de pequenos insetos, incluindo o mosquito da dengue

Por Wesley Colpani


A Crotalária pode atrair libélulas, predadoras naturais do Aedes Aegypti . (Foto: crotalaria.com.br)

Verão, calor e muitas chuvas. Clima ideal para grande procriação do Aedes Aegypti. Além de transmitir a dengue, o mosquito também é responsável pela Febre Chikungunya e do Zika Vírus.

Devido ao alto número de casos de dengue em São João e em todo Brasil, uma planta tem chamado a atenção de pesquisadores e da população: a Crotalária juncea.

Embora ainda não exista embasamento científico, muitos acreditam que a Crotalária atraí libélulas, predadoras naturais de pequenos insetos, incluindo o mosquito da dengue.

A planta ajudaria no controle biológico do mosquito transmissor.

CROTALÁRIA JUNCEA

A Crotalária é uma leguminosa que surgiu primeiramente na Índia e na Ásia tropical. Ela é muito utilizada na adubação verde e pode atingir de 60 centímetros a 1 metro de altura.

Para um bom plantio, o solo precisa ser fértil e estar em locais frescos. Ela requer cuidados básicos, como regar todos os dias. Depois de adulta, ela se adapta bem ao clima quente e a seca, mas não suporte o frio constante.

Para quem tem animais, o cuidado é redobrado, pois se trata de uma planta altamente tóxica, o animal que ingerir sementes ou a flor, pode ter problemas no fígado.

LIBÉLULA

Semente da Crotalária podem ser encontradas em casas de sementes ou agropecuárias. (Foto: Wesley Colpani)

A libélula, assim como o Aedes Aegypti, é um inseto que busca depositar seus ovos em água parada. A larva da libélula se alimenta da larva de outros insetos, como a do Aedes. Mas depois de adulta, a situação permanece, ela se alimenta de pequenos insetos, incluindo o mosquito da dengue.

Mesmo a libélula sendo um predador natural do Aedes, Moisés Valim Filho, estudante de agronomia e um dos proprietários de uma Agropecuária, tem dúvidas quanto à eficácia da Crotalária. “Como ainda não existe uma comprovação científica, eu tenho um certo receio, mas se ficar comprovado que ela realmente atraí a libélula, será um grande passo para combater o Aedes Aegypti e manter o controle biológico.” Explica Moisés.

OTIMISMO

A sanjoanense estudante de medicina, Maria Cecília da Silva Valim, de 23 anos, se mostra animada com a nova informação e acredita que a planta é capaz de ajudar no controle biológico do mosquito da dengue.

“Embora ainda não exista nenhum estuda que realmente comprove a função da Crotalária referente à libélula, temos casos de diversos municípios que tiveram bons resultados após plantar a Crotalária pela cidade. Um exemplo é a cidade de Sorriso, no Mato Grosso. Lá, após o plantio, chegaram a conseguir zerar o número de casos durante um mês.“ Relata a estudante de medicina.

Mas a estudante faz um alerta para quem resolver cultivar a planta. “Não é porque você passou a cultivar a Crotalária em casa que irá deixar de tomar as medidas básicas de combate. Manter quintais e jardins limpos e sem água parada ainda são os cuidados mais eficazes para não permitir a proliferação do Aedes Aegypti.” Finaliza Maria Cecília.

SÃO JOÃO

Em fevereiro do ano passado foi declarada epidemia de dengue em São João com 400 casos confirmados. Desde então, o número de contaminações só aumentaram. Com isso o poder público reforçou as ações de combate ao mosquito transmissor.

Mas mesmo diante de todos os cuidados do setor público e da população, São João da Boa Vista fechou o ano com mais de 5.000 casos de dengue. Ao todo foram 5.625 casos confirmados e mais de 6.300 notificados.

Geral