Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Saúde :: 2016-01-03 -17:32:00

Mantenha a respiração correta ao realizar exercícios

Educador físico orienta e esclarece sobre a maneira mais adequada de respirar enquanto se pratica atividades

Por Daniela Prado


A respiração é algo natural e que, portanto, varia conforme as necessidades do seu corpo. Quando estamos parados e sem nos exercitar, o corpo responde com a respiração nasal, que melhora a qualidade do ar que respiramos, pois as narinas filtram e aquecem o ar que vai chegar aos pulmões.

Só que, durante uma atividade física aeróbia de intensidade forte, a prioridade é suprir a necessidade maior de ar, o que faz com que, automaticamente, a boca se abra e a respiração passe a ser combinada – nasal e oral.

O educador físico Rogério Gomes, que é professor do Departamento de Musculação da Sociedade Esportiva Sanjoanense e especialista em treinamento Desportivo e em Ciência do Triathlon pela Unicamp, falou sobre o assunto com a reportagem do O MUNICIPIO.

IMPORTÂNCIA DA RESPIRAÇÃO CORRETA

“Quando pensamos em exercícios, principalmente os aeróbios, onde toda ação muscular acontece na presença de oxigênio para produção de energia, a respiração faz toda a diferença na eficiência da atividade”, justifica Rogério.

Ele ainda acrescenta que é por isso que corredores, ciclistas, nadadores e atletas de esportes coletivos devem melhorar a capacidade respiratória, a fim de não realizar o exercício pela metade ou com um cansaço acima do recomendado.

COMO DEVE SER REALIZADA

Rogério esclarece que respirar é um ato contínuo mas, durante a prática esportiva,  é importante cadenciar ou coordenar a respiração com os movimentos. “Por exemplo, na natação, é realizado um ciclo de braçada (2x1, 3x1, 5x1) por uma de respiração; já na corrida, os movimentos dos braços ajudam na expansão do tórax, para realizar o ciclo respiratório”, elucida o educador físico.

Rogério salienta que ainda existem exercícios educativos, que ajudam a aperfeiçoar o gesto mecânico. “Respiração inadequada não chega a atrapalhar o organismo, e sim o rendimento, lembrando que a respiração é algo natural e involuntário”, frisa ele.

A respiração realizada de maneira incorreta, segundo o educador físico, pode acarretar uma queda do rendimento ou levar à necessidade de um tempo maior para se recuperar após alguma atividade. “Não podemos nos esquecer de que, melhorando a respiração, acabamos melhorando a eliminação de radicais livres, sendo que o mesmo é produzido durante o ciclo respiratório”, Rogério lembra.

De acordo com o educador físico, os esportes que exigem maior fôlego dos pulmões são os exercícios ou atividades de maior intensidade, chamados de zona de limiar ventilatório ou limiar anaeróbio.

Rogério frisa que, independente do exercício, o que importa é a intensidade (velocidade /peso) e, geralmente, nessa intensidade, o corpo não consegue levar ao músculo o oxigênio captado na respiração, o que culmina naquele momento da atividade em que nos sentimos ofegantes.

ANTES DE SE EXERCITAR

Rogério ressalta que toda atividade física deve ser orientada por um especialista. “Sair correndo, já em alta intensidade, pode ser perigoso e não chegará a ter as respostas que todos querem com tal atividade; somente vai deixar o corpo com aquela dor muscular que acontece de início tardio”, justifica ele.

O recomendado pelo educador físico é começar a se exercitar em baixa intensidade e fazer toda a atividade com uma boa respiração, chamada de treino abaixo do limiar ou aeróbio leve, o qual irá adaptar e condicionar a pessoa que o pratica para o futuro stress daquela atividade praticada. 

TODO DIA

O educador físico enfatiza que o exercício, para ter sua melhor eficiência, deve levar como princípio a individualidade biológica de cada pessoa. “A recomendação mínima seria de 15 minutos a uma hora por dia. Já a intensidade vai variar de acordo com a capacidade física de cada um”, diz Rogério.

Segundo ele, o sugerido pelo Colégio Americano de Esporte e Medicina, ACMS, é de 5 a 7 vezes por semana, com uma boa intensidade. “Mas vou lembrando que, se o individuo é sedentário, comece com mais cautela e numa velocidade que ele consiga respirar normalmente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca”, Rogério alerta.

Já em atletas profissionais, todo recurso para melhorar a capacidade respiratória é utilizado, pois esse aumento,  chamado de volume de oxigênio (VO² Máx.) que é a capacidade de absorção de oxigênio pela respiração, faz toda a diferença para um campeão.

“Logo, são realizadas aulas complementares como Yoga, Pilates, treino em altitude, máscaras para simular altitude e treinos intensos para promover uma adaptação cardiovascular”, conclui ele, finalizando que é sempre importante um check-up médico antes de qualquer atividade, bem como a orientação de um profissional de Educação Física.

Sade