Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Geral :: 2015-12-14 -14:41:00

Blue Heeler: de pastoreio e boa companhia

Desenvolvido na Inglaterra para pastorear rebanhos na Austrália, a raça caiu no gosto popular

Por Daniela Prado


Ele tem aparência de um ancião, por seus pêlos “grisalhos” e porte médio, mas o cão da raça blue heeler é resistente e vigoroso.

O veterinário André Luiz Freitas, que atende em São João, à Pet Center, nos conta que o blue heeler é o boiadeiro australiano, desenvolvido na Inglaterra, no século XIX, para ser um cão de pastoreio na Austrália. “É conhecido também como Australian Cattle Dog”, acrescenta André.

Blue Heeler: desenvolvido na Inglaterra, o cão é uma excelente companhia. (Foto: Arquivo) 

Segundo ele, esta raça é capaz de trabalhar continuamente sob o sol forte, sem se cansar. “Os blue heeler são muito apegados ao seu dono, fieis, bastante atentos, corajosos e desconfiados com estranhos, características que fazem dele um bom cão de guarda, além de boiadeiro e companheiro”, revela o veterinário.

André observa que cães desta raça são boas opções para crianças, pois são companheiros incansáveis de brincadeiras. “O boiadeiro australiano é um cão inteligente e obediente, habituado a trabalhar em parceria com o homem, tendo atingido a 10ª colocação no ranking de inteligência canina de Stanley Coren”, pontua o veterinário.

A raça é atlética e com grande habilidade para o salto, se saindo bem em competições de agility e flyball. ”Seu temperamento é calmo, mas fica incomodado quando sente perigo em relação ao seu dono e ao ambiente em que vive”, alerta André.

Ele também lembra que a inteligência é outra característica marcante na raça, que tem facilidade em aprender rapidamente os comandos complexos. “Isso o torna um cão confiável para trabalhar em fazendas e áreas relativamente grandes”, conclui.

Além disso, Blue Heelersão cães rústicos, ativos e dinâmicos, que precisam de muito espaço e exercício. “Eles devem ter sempre a possibilidade de gastar sua enorme energia diariamente ou, certamente, desenvolverão problemas de comportamento”, argumenta o veterinário. Logo, os cães desta raça não devem ser mantidos presos e nunca podem ser criados em apartamentos.

Uma escovação semanal basta para a manutenção do seu pêlo. “Esta é uma raça muito saudável, contudo alguns exemplares podem apresentar problemas de atrofia progressiva da retina, surdez congênita ou luxação de patela, problemas genéticos que podem ser evitados com a escolha consciente do filhote e dos pais da ninhada”, finaliza André.

FÃ DE BLUE HEELER

Luna é uma blue heeler de dois anos e meio, que mora na casa do cinegrafista Danilo Freitas e, pelo visto, é realmente cheia de energia, adora passear. “Meu dia a dia com ela é ‘f...’, por ser um animal com muita energia e, como não tenho um espaço muito grande para ela, todos os dias fazemos caminhadas de, em média, uma hora e meia”, conta ele, entre risos.

Danilo percebe que o mais curioso é que, basta chegar perto do horário de sair ou Luna o vir de bermuda, tênis e camiseta, que ela já fica impossível, tudo para dar uma volta. “Até aos domingos, cedo, quando ando com ela, é a mesma coisa; a Luna sabe quando vou levá-la para passear e fica muito contente, eufórica, acho que se fosse por ela, passaria o dia todo na rua”, Danilo brinca.

Outro detalhe que ele nota é que Luna é super apegada a ele, e se lembra de uma vez em que andavam tranquilamente pela rua, quando veio um cachorro desconhecido, na direção deles.

A Luna entrou na frente e ficou entre Danilo e o cachorro, que era maior do que ela. “Eu não sabia o que fazer e fiquei quieto; o cachorro, que veio me atacar,ficou parado, com a Luna olhando para ele”, diz o cinegrafista.

Danilo achou que teria briga mas, pelo contrário, o cão virou as costas e saiu, de cabeça baixa, graças a atitude de Luna. “Isso me chamou muito a atenção”, conta ele, ponderando que Luna não é brava, pelo contrário, no dia a dia, é super dócil e brincalhona, adora pular e correr.

Ele lembra uma vez em que chegou do trabalho, quase à meia noite,muito cansado e a blue heeler veio, abanando o rabo e com um brinquedo para que ele jogasse para ela ir buscar. “Mesmo tendo tido um dia daqueles, não consegui passar direto, fiquei alguns minutos brincando com a Luna, ela é bem divertida”, derrete-se o cinegrafista.

Sobre o motivo de ter escolhido um blue heeler, Danilo conta que tudo começou quando ele viu um rapaz passeando nas ruas com um cão desta raça e achou bastante diferente. “Achei muito bonito, e falo diferente porque não é comum ver uma raça como essa andando por aí; é um cão boiadeiro, muito encontrado em fazendas e sítios, e é um animal com muita energia, o que motivou ainda mais minha escolha”, revela.

A partir daí, Danilo pesquisou sobre a raça e ficou encantado. “Não tenho sítio ou fazenda de gado mas, mesmo assim, o que me chama a atenção para um blue heeler é o fato de ser um animal muito esperto, fiel, ótimo cão de guarda e protetor”, finaliza.

Geral