Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Saúde :: 2015-12-08 -15:52:00

Chikungunya e Zika assustam

Transmitidos pelo mesmo mosquito da dengue, estas doenças foram “importadas” e têm preocupado muito

Por Daniela Prado


Os sintomas são muito parecidos com os da dengue – febre, dor de cabeça, mal estar geral, em alguns casos, aparecem manchas na pele.

Contudo, estes sinais podem ser de outras doenças, ainda pouco conhecidas no Brasil, que são Chikungunya e Zika Vírus.

Para conhecer um pouco mais destas “novas” patologias, a reportagem do O MUNICIPIO conversou com Sandra Vilela, enfermeira do setor de vigilância epidemiológica do Departamento de Saúde.

O Chikungunya e o Zika Vírus são ocasionados pelo mesmo agente transmissor da dengue e da febre amarela, o mosquito aedes aegypti.

SINTOMAS E TRATAMENTO

Sandra destaca que os sintomas do Chikungunya são praticamente os mesmos da dengue. “Febre, dor de cabeça, mal estar geral e podem aparecer manchas na pele, enfim, também são os principais sintomas da dengue”, pontua a enfermeira.

Para se livrar da doença em si, como seria o tratamento? Seria parecido com os da dengue, já que é o mesmo agente transmissor. “Para a doença em si não tem um tratamento específico, a gente trata os sintomas com medicamentos para febre, para dor no corpo, evitando sempre o uso do ácido acetil salicílico que é um medicamento que favorece o sangramento e pode causar complicações”, diz Sandra.

Quanto a ser fatal, como acontece com alguns casos de dengue, a enfermeira pondera que sempre existe a possibilidade de alguma complicação para a doença, principalmente em pessoas que têm doenças de base, como lúpus, diabetes compensada ou doenças cardíacas mais graves. “Quando a pessoa tem alguma complicação anterior, existe, sim, a possibilidade do agravamento e muitas vezes até o óbito, tanto pela dengue quanto pelas outras doenças”, Sandra ressalta.

PREVENÇÃO

A enfermeira do setor de vigilância epidemiológica argumenta que a principal medida para evitar a doença é feita com a eliminação de criadouros, forma de impedir que o mosquito se prolifere.

Sandra sugere que existem outras possibilidades como uso de repelentes, seja em gel, os de colocar na tomada ou em aerosol e o uso de roupas claras e de manga comprida que dificultam que a pessoa seja picada. “Essas são medidas que, juntas, colaboram para evitar a transmissão”, conclui.

DIFERENÇAS ENTRE ELES

Segundo Sandra, não existe uma grande diferença entre as doenças chikungunya, zika vírus e dengue. “Como eu disse, todas elas têm, aparentemente, os mesmos sintomas que são febre, mal estar, dor no corpo, manchas na pele e é sempre importante a gente descartar a dengue, que é a nossa principal transmissão, para depois suspeitar das outras doenças”, diz.

A enfermeira frisa, ainda, queneste momento ainda não se tem a transmissão instalada no Estado e na cidade, logo, devemos buscar outros exames para confirmar tais doenças.

ZICA VÍRUS

No caso do Zika, os sintomas são os mesmos do Chikungunya, eventualmente com diarreia e vômitos, mas Sandra comenta que ainda não se tem um diagnóstico simples como da dengue, que é a sorologia. “É possível, sim, na gravidez, através da ultrassonografia, diagnosticar se a criança tem ou não algum problema de microcefalia, como tem sido feito nos diagnósticos”, revela Sandra.

De acordo com a enfermeira, uma criança com microcefalia vai apresentar atraso no desenvolvimento físico, vai ser uma criança com problemas neurológicos e isso vai trazer uma série de consequências durante o seu período de vida.

Não existe nenhum tipo de vacina para prevenir e mesmo para a dengue, este tipo de medicamento ainda apresenta uma série de discussões, ainda não está no mercado e, como Sandra enfatiza, não seria de imediato para toda a população.

A melhor forma de transmissão, de evitar e de prevenir é, realmente, a eliminação de criadouros e que a população esteja atenta. “Pelo menos uma vez por semana, faça uma revisão na sua casa, faça a eliminação dos seus criadouros, evite água parada em qualquer situação, principalmente naqueles lugares que a gente não costuma fazer uma vistoria frequente, ralos de banheiros, calhas, caixa d’agua... isso é realmente a melhor prevenção”, aponta Sandra.

Ela finaliza que, se cada um dentro de sua própria casa, ao redor da sua casa, do seu vizinho, não mantiver essa eliminação de criadouros, fica realmente muito difícil o serviço de saúde conseguir manter em baixos níveis a circulação do mosquito.

COMO CHEGARAM

Se a dengue já está instalada no Brasil há muitos anos, o chikungunya e o zika vírus são casos que vieram “importados” para nós, de outros países onde existia a circulação destes vírus e chegando aqui no Brasil, ao encontrar o aedes aegypti, mosquito que se encontra em todos os municípios brasileiros, foi fácil se instalar a transmissão. 

Sade