Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Saúde :: 2015-11-26 -16:19:00

Diagnóstico precoce da osteoporose evita riscos

Ortopedista recomenda que eliminar hábitos como tabagismo, sedentarismo entre outros ajuda a prevenir

Por Daniela Prado


Quando se atinge a chamada terceira idade e o organismo começa a apresentar sinais de desgaste, ouve-se muito falar em osteoporose e no quanto ela pode ser perigosa em casos da pessoa levar tombos.

Marcus Vinícius Dotta, médico ortopedista pela Unicamp, é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, professor do curso de medicina do UniFAE e falou ao O MUNICIPIO a respeito deste problema.

O que é

“Osteoporose é uma desordem esquelética caracterizada pela diminuição da força dos ossos, predispondo a fraturas”, esclarece Marcus Vinícius.

Segundo o ortopedista, este é o problema mais comum do aparelho locomotor, quando se envelhece. “Acomete mais mulheres que homens – especialmente pela falta dos hormônios sexuais após a menopausa”, ressalta ele.

Marcus Vinícius cita um dado alarmante, o de que uma em cada seis mulheres da população sofrerá uma fratura do quadril, em consequência da perda mineral óssea que vem com o envelhecimento.

Exames que detectam

O ortopedista conta que o diagnóstico é feito a partir do exame de Densitometria Mineral Óssea (DMO). “É feita uma análise do quanto de osso por área (densidade) existe nas regiões mais frequentemente acometidas pelas consequências da osteoporose, como coluna lombar, quadris e punhos”, descreve o médico.

Estes exames, de acordo com Marcus Vinícius, são como radiografias – indolores, rápidos, duram menos de cinco minutos, não precisam de contrastes e a exposição à radiação chega a ser até cinco vezes menor que a de uma radiografia torácica.

Prevenção

Marcus Vinícius aconselha que, para prevenção e tratamento da osteoporose, é importante selecionar os pacientes que possuam fatores de risco elevados, como mulheres magras e brancas em idade avançada, com menopausa precoce (antes dos 50 anos) e que não tenham feito terapia de reposição hormonal.

“A prevenção e o tratamento não medicamentoso consistem em eliminar maus hábitos como sedentarismo, tabagismo, ingestão de bebidas alcoólicas e refrigerantes e aumentar a de alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados”, sugere o ortopedista.

Outra sugestão que ele deixa é a de se expor ao sol por pelo menos dez minutos ao dia, para estimular o organismo na produção da vitamina D.

 Diagnóstico Precoce

Marcus Vinícius lembra de que o diagnóstico nas fases iniciais, quando não se trata de osteoporose mas de osteopenia, é fundamental para definir as medidas e medicamentos necessários, evitar a progressão e aumentar os riscos de fraturas associadas. “Uma metanálise realizada por pesquisadores do HC Unicamp, em 2014, mostrava que nas diferentes regiões do Brasil onde haviam estudos sobre o tema, a prevalência de osteoporose variou de 14,7 a 43,7% em idosos”, comenta o ortopedista.

Ele ainda enfatiza que este é um problema de saúde pública, sendo que muitas doenças são causadas, ao menos em parte, por hábitos incorretos. “Vida saudável exige dedicação, disciplina alimentar e prática de atividade física regular”, finaliza Marcus Vinícius.

Sade