Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Saúde :: 2015-11-23 -14:52:00

Como descobrir se você tem intolerância ou alergia alimentar

Nutricionista sanjoanense explica qual a diferença e como você pode perceber este problema

Por Daniela Prado


No mês passado, um jovem sanjoanense morreu vítima de alergia alimentar, após ingerir amendoim.

Infelizmente, este problema pode acometer muitas pessoas que nem sequer sabem que possuem esta limitação alimentar e só vão tomar conhecimento em circunstâncias drásticas como esta.

Para alertar sobre a diferenciação entre alergia e intolerância e os cuidados que podem ser seguidos, a reportagem do O MUNICIPIO entrou em contato com a nutricionista Caroline Ferreira, nutricionista.

Como descobrir

Caroline alerta que, para se saber de antemão, se uma pessoa tem alergia a determinado alimento, além dos sintomas clínicos descritos no infográfico ao lado, existem testes alergênicos próprios  para detectar a intolerância alimentar, mediada por Imunoglobulina G, e a alergia clássica, mediada por  Imunoglobulina E. “Através de uma amostra sanguínea é possível diagnosticar a intolerância ou a alergia”, diz a nutricionista.

Características dos Sintomas

Segundo Caroline, as características dos sintomas de alergia alimentar se manifestam imediatamente, mesmo quando se ingere pouca quantidade do alimento e os testes feitos na pele são positivos. “Já os da intolerância alimentar podem demorar mais de 30 minutos para aparecer, sendo mais graves quanto maior for a quantidade de alimento ingerido e os testes de alergia realizados na pele não apresentam alteração”, enfatiza ela.

Intolerância X Alergia

A diferença entre ambas, como informa a nutricionista, é que na alergia há uma resposta imunológica imediata – o organismo cria anticorpos como se o alimento fosse um agente agressor e por isso os sintomas são generalizados. “Já na intolerância alimentar, o alimento não é digerido corretamente e, dessa forma, os sintomas surgem principalmente no sistema gastrointestinal”, Caroline justifica.

A nutricionista também argumenta que a intolerância alimentar é muito mais frequente e pode afetar qualquer individuo sem histórico familiar, enquanto a alergia alimentar geralmente é um problema mais raro e hereditário, surgindo em vários membros da mesma família.

Medidas Preventivas

Tanto na alergia alimentar como na intolerância, Caroline sugere que o tratamento consiste em retirar do cardápio os alimentos e todas as receitas que são preparadas com os ingredientes que causam os sintomas. “Deve-se prestar muita atenção  nos alimentos industrializados, pois muitas vezes a pessoa não sabe que contém traços  - pequenas quantidades daquele nutriente - e acaba desencadeando uma reação alérgica ou gastrintestinal”, pondera a nutricionista.

Quando a pessoa descobre que tem alergia alimentar, ela simplesmente não deve consumir esse nutriente, já que provoca uma reação imunológica imediata. “Se a pessoa apresenta uma intolerância alimentar, ela deve saber o grau que se encontra para saber se pode consumir em pequenas quantidades ou não”, frisa Caroline.

Qualquer pessoa pode nascer com a alergia / intolerância e, ao longo da vida, deixar de ter, mas há casos opostos, em que a pessoa nasce sem este problema e o adquire. “Devemos estar atentos ao nosso organismo e como ele reage à ingestão de certos alimentos”, diz a nutricionista.

Alimentos “perigosos”

De acordo com Caroline, nem sempre é possível identificar quais os alimentos que provocam alergia ou intolerância alimentar, pois os sintomas variam conforme o organismo de cada um. “No entanto, na maior parte dos casos, a alergia é provocada por alimentos como camarão, amendoim, tomate, marisco e kiwi, enquanto que na intolerância alimentar, os principais alimentos incluem leite de vaca, ovo, morangos, nozes, espinafre e pão”, aponta ela.

Atualmente, por este problema atingir várias pessoas, muitos Buffet, restaurantes e padarias estão se especializando e trazendo para o mercado algumas opções sem determinado nutriente/alimento. “Hoje temos produtos lacfree (sem lactose), glutenfree (sem glúten), sugarfree (sem açúcar), entre outros, mas isso se aplica ao dia a dia da pessoa; para eventos sociais, a pessoa deve perguntar ao garçon se aquele alimento contém ou não o que lhe traz alergia”, finaliza Caroline.

E atentar bem às reações do organismo, nestas horas.

Sade