Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Saúde :: 2015-11-19 -10:21:00

‘Caminhada’ lembra importância de prevenir doenças renais

Médica nefrologista esclarece quais as doenças mais comuns, quem tem maior propensão e como podem ser evitadas

Por Daniela Prado


A 11ª edição da Caminhada pela Vida, organizada pela ARCROS com apoio total do Instituto de Doenças Renais, IDR, acontece neste domingo, dia 15 de novembro.

Com saída de frente ao prédio do IDR, localizado à Av. Dr. Otávio da Silva Bastos, nº 3095, prevista para as 7h30, a Caminhada irá percorrer a Av. Dr. Durval Nicolau, passar pelo centro da cidade e terminar na Sociedade Esportiva Sanjoanense.

Laudelina Pereira e Fabiana Oliveira, assistentes sociais do IDR, contam que, antes de caminhar, é feito um aquecimento e haverá animação do grupo Dubalakubako.

Para saber um pouco mais sobre as principais doenças renais, quem está mais propenso a elas e quais os cuidados gerais que os rins necessitam, a reportagem do O MUNICIPIO entrou em contato com a médica nefrologista Ana Paula Mendes Coelho Moussa, que atua no próprio IDR e é sócia proprietária lá.

Doenças mais comuns

Ana Paula salienta que as doenças sistêmicas mais comuns, associadas à doença renal crônica são a hipertensão arterial sistêmica e o diabetes mellitus. “Pessoas que não têm acesso a tratamentos, ou que tenham tratamentos falhos, tem risco aumentado de desenvolver a doença renal crônica”, aponta Ana Paula, sobre o perfil mais propenso.

Segundo a nefrologista, as doenças renais, devido à hipertensão ou diabetes, são mais comuns em indivíduos adultos. “Vida sedentária, obesidade e maus hábitos alimentares podem contribuir para o desenvolvimento destas doenças”, cita ela.

Outros tipos de doença renal, de acordo com a nefrologista, podem existir em qualquer fase da vida, como as nefrites e infecções urinárias de repetição, por exemplo.

A doença renal crônica tem geralmente evolução lenta, sem causar dor ou desconforto.  “Infelizmente, quando o paciente chega com vários sintomas como fraqueza, anemia, edema (inchaço), falta de apetite, alteração na coloração da urina, normalmente a doença já está avançada, sem muitos recursos para retrocedê-la”, justifica.

E conclui que, nestes casos, a grande maioria já está em vias de precisar fazer diálise.

Fique Atento

Ana Paula lembra que é muito importante a detecção precoce de hipertensão e diabetes, para que haja um controle mais eficaz e se evite, ou pelo menos adie, os danos causados em vários órgãos, dentre eles os rins. “Vida saudável, com hábitos alimentares saudáveis, sem excesso de sal, gorduras, açúcares, bem como a prática de exercícios físicos regulares e consultas periódicas a seu médico, trarão benefícios importantes para que seu organismo esteja em harmonia”, finaliza Ana Paula.

A nefrologista deixa uma sugestão -- na sua próxima consulta, peça ao seu médico que solicite também o exame da creatinina, um exame de sangue que avalia a função dos rins e pode determinar alguma alteração precoce no funcionamento deles, fazendo toda a diferença.

Sade