Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Artigos :: 2016-09-08 -16:15:00

Mais perto de Sorocaba


             

Depois de visitar o Parque Tecnológico de São José dos Campos, o Grupo de Trabalho formado por membros do Instituto Federal, Agencia de Desenvolvimento e Assessoria de Planejamento da prefeitura de São João da Boa Vista conheceu o Parque de Sorocaba. Este segundo ambiente de inovação está muito mais próximo de nossa realidade por dois motivos: 1) amplia o leque de áreas de concentração (metalmecânica, eletroeletrônica, automotiva, energias limpas e TI), não focando em um setor promissor apenas e; 2) é uma autarquia municipal quem gerencia este empreendimento, a EMPTS - Empresa Municipal Parque Tecnológico de Sorocaba, muito provavelmente o mesmo caminho a ser direcionado por aqui.

Este papel indutor do poder público tem sido uma constante nas iniciativas de organização de sistemas locais de inovação em toda a América Latina, não penas no Brasil. Além disso, temos uma conjuntura acadêmica muito recente em nossa cidade, dado que IFSP e Unesp oferecem cursos de nível superior a menos de 10 anos, e é inegável o papel destas duas instituições em alavancar pesquisa científica e tecnológica em outros setores. Por isso, o modelo sorocabano parece o mais adequado para nós; pelo menos, entre os discutidos até então.

Há a necessidade real da ampliação do leque de áreas a serem incentivadas pelo Grupo de Trabalho voltado para o Polo de Tecnologia, algo há muito reivindicado aqui neste espaço no site do jornal O Município e pedido pelos agentes de inovação com quem tive o prazer de dialogar, e que ganha nova perspectiva quando passa-se a ter Sorocaba como espelho. Nosso parque industrial e nossa produção agropecuária são diversificados o bastante para aprimorar a relação entre os vários cursos de qualificação, ensino técnico e superior e o empresariado.

Tão ou mais importante do que esta mudança de perspectiva que, nitidamente está ocorrendo na concepção do Polo de Tecnologia sanjoanense, mais especificamente nos rumos apontados pelo poder público local, seriam iniciativas de fora do poder público, trazendo demandas a serem abraçadas pelos gestores. Esta é a resposta que a sociedade civil (empresariado, instituições de ensino e setores privados sem fins lucrativos) precisa dar para dizer que realmente abraça este projeto. Por isso, continuamos à caça dos empreendedores da inovação: sem eles, nada passa de projeto.