Bem vindo
Notice: Undefined index: usuarioNome in /home/omunici/public_html/view/topo.php on line 39

Sair


Esqueci minha senha






Artigos :: 2016-07-28 -15:31:00

Atlético Nacional campeão da Libertadores e o futebol agradece


(Foto: www.conmebol.com)

 

Na noite de ontem, 27, o Atlético Nacional, principal equipe da Colômbia, se sagrou campeão da edição 2016 da Copa Libertadores da América, que comemorou o centenário da Confederação Sul-americana de Futebol (CONMEBOL). Nesta edição, a equipe colombiana foi esplendorosa, tendo a melhor campanha da história da Libertadores, com 33 pontos somados, quebrando o recorde do Boca Juniors, da Argentina, que era de 32 pontos e do Corinthians de 2012, campeão invicto com 30 pontos.

Um futebol bonito de se ver, envolvente, agressivo e eficiente. Merecedor de todas as pompas de campeão, sem contestação. Seu adversário na final, o Independiente Del Valle, do Equador, autor de façanhas como eliminar os dois gigantes argentinos, Boca Juniors e River Plate, durante sua campanha, foi bravo e proporcionaram dois grandíssimos jogos nas finais. Mas temos alguns pontos a serem destacados;

Foi a primeira vez em mais de duas décadas que uma final de Libertadores não tinha nenhum representante brasileiro ou argentino. A final deste ano foi feita por times da Colômbia e do Equador. Isto mostra claramente duas coisas: o enfraquecimento do futebol brasileiro e argentino nos últimos anos, devido às más gestões de suas federações e seus gestores e a elevação do nível do futebol dos outros países do continente. Não por acaso, nas eliminatórias para a Copa do Mundo, o Brasil está atrás de Uruguai, Equador, Argentina, Chile e Colômbia, nesta ordem.

Outro fato interessante é que a gestão esportiva desses clubes e de outros espalhados pela américa do sul, tem passado a ser profissional e geridos por empresas especializadas nisto. Na final de ontem, os dois clubes são geridos neste formato. No caso do campeão, a gestão é feita pela OAL, que é um conglomerado empresarial dos mais importantes do país, que é dono de empresas de vários seguimentos, como automotivo, agronegócio e bebidas, inclusive, do Atlético Nacional. Desde 1996, quando o clube passou a ser uma empresa, são mais de 15 títulos conquistados. O modelo parece ter dado certo não?! Os clubes brasileiros poderiam parar de ser amadores de gestão e passarem a ser profissionais. Muitas coisas iriam mudar para melhor, com certeza.

O Atlético Nacional foi campeão com a melhor campanha da história da Copa libertadores com 33 pontos, tendo feito 25 gols e sofrido apenas 6. Enfim, o melhor time foi campeão e o futebol agradece.